A escolha entre o lado sombrio e o lado do bem

Por Gustavo Felix

Oliver Twist é um órfão que viveu em um orfanato quase toda a sua infância. Ele era muito maltratado e vivia com muita fome, até que certo dia resolveu fugir para Londres, a capital.

Lá ele encontrou uma gangue de crianças que o recolheram. Oliver foi chantageado e um dia a polícia o pegou. Só que Oliver foi inocentado.

Na saída da delegacia, Oliver desmaia, pois estava doente, mas um bom homem o levou para sua casa e começou a cuidar dele.

Porém, os ladrões tinham medo de que Oliver contasse deles para alguém, então foram atrás dele, até que o encontraram e o levaram.

Depois de muitos problemas e reviravoltas, um dos chefes do grupo de ladrões acaba morto e o outro foi preso e condenado à pena de morte. Oliver volta a morar com o senhor que o tinha salvado e viveu com ele pelo resto de sua vida.

imagem02Eu gostei muito da história, pois acontecem muitas reviravoltas. Mostra um garoto que teve que escolher por qual caminho seguir: para o lado sombrio da força ou para o lado do bem. Ele teve grandes chances de mudar de vida e foi o que ele fez.

imagem03

No meu gosto, mesmo não tendo tantas cenas de ação, ao ponto de dizer “nossa!”, a história é bem divertida até. No meu ponto de vista, a história está muito bem do jeito que está, com muitas reviravoltas, chances de viver bem e ser uma pessoa do bem

Anúncios

Oliver: sofrimento e superação

Theylon Kaique

Li o livro de Oliver Twist, um romance de Charles Dickens, que relata as aventuras e desventuras de um rapaz órfão. Neste romance o autor trata do fenômeno da violência provocada pelas condições precárias (fome e desemprego) e desiguais da sociedade inglesa do século XIX.

Oliver nasceu em uma igreja e sua mâe morreu no parto. Como ninguém sabia quem era o pai, órfão e pobre Oliver passou por todo tipo de privação até ser vendido a um coveiro. Maltratado, acabou fugindo e foi viver nas ruas de Londres, onde conheceu Fagin, o chefe de uma quadrilha de garotos especialitas em furtos.

Oliver foi obrigado a furtar e se mete em uma grande enrascada. Preso, acabou conhecendo um benfeitor. Em em meio a muitas confusões, o destino trará várias revelações sobre seu passado e suas origens.

Eu recomendo o clássico de Charles Dickens, pois achei uma historia cheia de reviravoltas e que mostra a realidade de como as crianças que não eram ricas sofriam naquela época. Uma realidade que não mudou muito de lá para cá em muitos países.

A parte do livro que mais gostei e indico foi quando a Nancy, uma mulher da vida, revelou todo o plano ao benfeitor de Oliver. Ela parecia malvada no início do livro, mas no final acabou se revelando uma pessoa boa.

OliverTwist13

Nancy queria ajudar Oliver e teve uma boa oportunidade de envenenar o grande vilão da historia, o Sr. Sikes, mas fiel a ele não o matou.

Se eu podesse mudar alguma coisa no livro, eu mudaria o final. Faria com que Oliver, o protagonista, perdoasse o vilão Fagin, que apesar de tê-lo explorado, nunca o machucou.

 

O corajoso Oliver Twist

Renan Ferreira

Eu não conhecia a história de Oliver Twist e gostei muito. Tivemos a oportunidade de ler o livro e assistir ao filme durante o curso de Comunicação e Expressão. Foi uma surpresa a reviravolta que a história dá.

Ao dar à luz ao pequeno Oliver, sua mãe morreu. Como não havia notícias do pai, Oliver foi parar num orfanato e era obrigado a trabalhar desfiando estopa. A comida era ruim e não o bastante para compensar o trabalho. Um dia os meninos do orfanato fizeram um tipo de sorteio com palitinhos. Quem tirasse o palitinho menor seria obrigado a pedir mais comida.

'OLIVER TWIST' - 2005...No Merchandising. Editorial Use Only. No Book Cover Usage  Mandatory Credit: Photo by c.Columbia/Everett / Rex Features (542100b)  OLIVER TWIST, Barney Clark, 2005  'OLIVER TWIST' - 2005

‘OLIVER TWIST’ – 2005…No Merchandising. Editorial Use Only. No Book Cover Usage
Mandatory Credit: Photo by c.Columbia/Everett / Rex Features (542100b)
OLIVER TWIST, Barney Clark, 2005
‘OLIVER TWIST’ – 2005

Oliver teve o azar de pegar o pequeno palito e, com coragem, enfrentou o inspetor. Ele apanhou. Acabou sendo vendido a um agente funerário. Conseguiu escapar e fugiu para Londres, onde caiu nas mãos do malvado Fagin, que usava um bando de garotos para furtar lenços e joias.

Uma das partes preferidas da história foi quando Oliver saiu para roubar com os garotos, acabou preso e foi levado para a delegacia. Lá conheceu o senhor Brownlow e em pouco tempo ganhou a confiança do homem. Foi raptado pela gangue de Fagin quando ia entregar livros e um cheque na livraria. Apesar do medo, ele pediu que devolvessem o cheque e os livros ao senhor Brownlow.

Uma das partes mais tristes foi quando essa quadrilha obrigou Oliver a roubar a casa do Brownlow. Ao tentar avisar o senhor bondoso, acabou recebendo um tiro no braço e caiu e foi levado novamente para a casa de Fagin.

A vida sofrida de um pequeno órfão

Por Mariana Barreto

A história de Oliver Twist mostra a vida de um garoto pobre, órfão e que é transferido de um orfanato a uma casa de correção, onde sofre com a fome e é trocado por um penny (moeda usada no século XIX na Inglaterra) para fazer trabalho escravo.

Em meio à história, Oliver conhece o “Matreiro” (jovem que tenta ajudá-lo) e é levado para um lugar onde há várias crianças e um senhor nomeado Fagin. Mesmo sem saber o que ocorre naquele lugar, ele permanece, pois ali é melhor que o lugar onde vivia antes.

Mariana

Depois de um tempo, Oliver vê e entende que todos aqueles que eram comandados por Fagin são na verdade pequenos ladrões. A partir daí, começam a treinar Oliver para que possa ajudar nesse trabalho sujo.

Ao tentar praticar o primeiro roubo, Oliver é pego e levado ao tribunal, para ver o que acontece, e assim conhece um bondoso homem em quem finalmente enxerga um possível pai.

Fagin teme que ele denuncie seu esquema. Para evitar isso, Fagin planeja um assalto à casa do rico Sr. Brownlow (pai desejado por Oliver) e assim vão ocorrendo alguns fatos finais.

Achei interessante (o livro e o filme), pois mostra uma história que em muitos casos existe. E assim podemos conhecer mais um pouco da realidade mostrada no livro. E é legal, pois no decorrer dos fatos nós começamos a imaginar o que está para acontecer, e assim querendo conhecer mais e mais do livro.

Eu gostei da história, pois podemos ver que, mesmo com tudo, Oliver não perde a motivação e está sempre lutando por sua vida. Não tem algo que eu tenha gostado menos, pois ao todo é uma boa história e não existe algo concreto para ser taxado fora de meu gosto, mas poderia sim ter partes melhores.

Eu particularmente mudaria a parte em que Nancy (garota da vida que tenta ajudar Oliver) morre, pois vemos que ela tem um bom coração, mesmo fazendo parte da gang.

 

Oliver Twist: Um começo triste com um final feliz

Leonor Barros

O livro de Oliver Twist, de Charles Dickens, é uma daquelas histórias que deixam a gente curiosa para saber o que irá acontecer no final. No livro, Oliver é uma criança órfã pobre que vive durante alguns anos em uma casa de caridade. Depois de 9 anos sofrendo, trabalhando e passando fome, Oliver resolve fugir do abrigo e ir para Londres.

Leonor Barros

Lá ele encontra alguns vilões que eram comandados por Fagin. Oliver passa por muito sofrimento nas mãos de Fagin, até encontrar um senhor que o acolhe e cuida muito bem dele. No final, Oliver descobre suas origens e encontra a herança que seu pai deixou.

Uma das melhores partes do livro é exatamente o final: depois de tanto sofrimento e discórdia, Oliver descobre as suas origens e vive uma vida feliz e com fartura.

No curso de Comunicação e Expressão, tivemos a oportunidade de ler o livro e assistir ao filme. A cena que mais me chamou a atenção é quando aparece o Oliver sentado no banquinho todo arrumado e lendo um livro – coisa difícil de imaginar quando começou a história.

Se eu fosse o autor Charles Dickens, eu mudaria o que acontece com Fagin no final de história. Acredito que Fagin merecia piedade e misericórdia.

 

Vida Bandida: Oliver Twist

Kayque Abrantes (nóis que ta ktchoro)

Pensa na história aqui: Inglaterra, século XIX, um garoto órfão e pobre que se chamava Oliver Twist. O menino passou por todo tipo de privação até ser vendido a um coveiro. Foi maltratado e acabou fugindo. Passou a viver nas ruas de Londres, onde ele conheceu Fagin, chefe de uma quadrilha de meninos especialistas em furto de joias.

Kayque

Obrigado a roubar, Oliver começa a se meter numa grande enrascada, mas nem imaginava que, em meio ao caos, o destino trará à tona os segredos de sua origem.

Essa história do escritor Charles Dickens é muito interessante porque mostra uma realidade daquela época na antiga Londres. Violência, fome, desemprego e desigualdade social marcaram a vida do pequeno Oliver.

A parte mais legal, sem dúvida, é quando a garota de programa, Nancy, vai à casa do Sr. Brownlow, o melhor amigo de Oliver, para tentar ajudar o menino a escapar da morte.

Nancy perdeu uma grande chance de matar Bill Silkes, o grande vilão da história. Por pena, deixo de envenená-lo.

Se eu fosse Charles Dickens, daria uma vida melhor para a Nancy e não deixaria que nada acontecesse a ela. Ela teve uma vida difícil desde criança, mas mesmo assim ajudou Oliver sempre que pode.

Oliver Twist: Em busca da liberdade

Por Lucas Bezerra

Na Inglaterra, século XIX, havia um menino de rua qualquer, que não tinha mãe ou ao menos conhecia o pai (filho bastardo), o que fez com que tivesse de morar num orfanato. Esse menino era diferente, sempre questionando e fazendo o que os outros meninos tinham medo de fazer, originando assim a criação do seu nome, Oliver Twist (que significa agitação).

O principal motivo da criação do orfanato era fazer com que os órfãos se abrigassem e tivessem uma vida melhor do que na rua, mas, no caso, as pessoas que cuidavam do abrigo pegavam o dinheiro para si mesmas e as crianças comiam apenas mingau e continuavam famintas – o que na minha opinião era algo desonesto de se fazer (corruptos), mas é feito até hoje, o que não gosto nada –, fazendo assim com que Oliver pedisse mais e fosse vendido para um coveiro, onde foi maltratado e explorado pela família dele, como forma de ganhar dinheiro.

Oliver não aguentou mais e fugiu para as ruas de Londres, onde conheceu um senhor que era chefe de quadrilha, que o acolheu e o treinou para roubar (furtar joias) para ele, mas como não tinha astúcia para isso, acabou sendo preso quando estava vendo outros comparsas roubando. Ele foi para a cadeia, onde desmaiou doente na delegacia, mas um homem rico percebeu sua inocência e o acolheu em sua casa. Os outros de sua gangue achavam arriscado e sabiam que ele poderia contar sobre eles, levando-os ao enforcamento.

Dentro de toda a história, Oliver deveria escolher sabiamente suas decisões entre o certo e o errado, mas mesmo querendo o bem às vezes não conseguia, já que era um menino muito inocente e era facilmente manuseado pelos outros.

Na história de Oliver, o que mais me admirou foi o fato dele ser sempre um menino honesto diferente da maioria de outras crianças como ele, que entravam na vida do crime por “livre e espontânea vontade” e viviam da vida que seus roubos lhes proporcionava.

imagem01

Apesar da história falar sobre fatos que não agradam a maioria das pessoas, acredito que, da maneira com que a narrativa foi construída está perfeita, já que mostra os problemas da sociedade e cria um mistério e aproximação do leitor por conta do mistério causado.

 

 

Resistindo à vida de ser malandro

Por Matheus Zacarias

Oliver Twist é um menino órfão entre os milhares que sofrem com a fome e trabalho servo na Inglaterra. Vendido para um coveiro, ele sofreu com a crueldade da família do coveiro e acabou fugindo para Londres. Lá ele é recolhido das ruas, por um ladrão que o leva ele Fagin, um velho que controlava um bando de pequenos ladrões e garotas de programa.

Quando Oliver conhece um bom homem, em quem finalmente enxerga um possível pai, Fagin tem medo de que Oliver denuncie seu esquema. Para evitar isso, Fagin planeja um assalto à casa do rico, o pai desejado por Oliver.

Adorei a obra, nunca tinha ouvido falar antes dessa história, mas descobri que essa obra foi produzida por várias editoras e produtores. Com certeza recomendaria a um colega, pois se trata da realidade de muitos garotos nos dias de hoje (mesmo se tratando de séculos atrás).

O que mais me interessou foi que mesmo ele sendo um garoto “perdido”, sempre buscou ser do bem, mantendo-se firme e nunca aceitava fazer os atos incorretos facilmente. Não gostava de fazer mal a nenhuma pessoa.

cena Matheus

O fato que menos me agradou foi a morte da Nancy. Ela era uma boa garota no meio de pessoas ruins. Não merecia uma morte tão melancólica.