Xenofobia ou apenas costumes culturais?

Por Renata Guedes

Passei por algumas experiências desagradáveis com pessoas de origem coreana e chinesa nos últimos anos, realizando visitas de trabalho em seus estabelecimentos. Sempre fui tratada de forma hostil e nunca me conformei com isso.

Comecei a sentir uma certa aversão quando precisava ir a algum estabelecimento dessas pessoas, não ficava confortável e comecei a pensar se possuía xenofobia (preconceito contra estrangeiros).

Essas situações me levaram a fazer uma pequena pesquisa sobre o comportamento e a cultura dos coreanos e chineses. Ao levantar informações, percebi que o comportamento deles é absolutamente cultural e não hostil.

O brasileiro é muito receptivo e alegre, abraça e beija no rosto quando é apresentado ao outro. O contato, mesmo dentro do país, sempre é afetuoso. Por exemplo, os cariocas cumprimentam com dois “beijinhos”, já os paulistas, apenas um. Até mesmo na fila do banco, o brasileiro é cordial. Ao cumprimentar, o brasileiro nunca perde o contato visual.

Mas nos países orientais a história é outra. Segundo a coreana  Hanguk, em seu blog, “não podemos esperar isso dos coreanos, que não possuem esta cultura de abraços e beijos. A demonstração de carinho acontece de outra forma.

A principal saudação na Coreia é a inclinação. Quanto mais baixa a reverência mais admiração você demonstra. Este tipo de saudação também é utilizado em caso de hierarquia: quanto maior inclinação mais demonstração de respeito.

Nos casos de falecimento de alguém querido, a inclinação pode chegar a 90º. Também podemos presenciar pessoas do mesmo sexo andando de mãos dadas em demonstração de amizade.

Quanto aos chineses, a forma comum de cumprimento em reunião de negócios hoje em dia é o aperto de mãos. Para o chinês, essa forma de cumprimento foi adotada no intuito de se integrar ao ambiente de negócios ocidental, mas virou uma prática normal. Eles dominam bem o silêncio e o utilizam frequentemente como uma estratégia de negociação.

Chineses geralmente não estão acostumados a toques, beijos, abraços ou tapinha nas costas, então é preciso evitar tocar os seus interlocutores, ou qualquer forma de contato físico prolongado, principalmente com pessoas mais idosas.

As demonstrações públicas de afeto são muito raras. Muitas vezes não há firmeza no aperto de mão.

Pude concluir que os coreanos e chineses possuem uma cultura que difere da nossa e, de fato, é natural quando se trata de povos diferentes. No entanto, as adaptações de ambos os lados ainda não são suficientes para diminuir a estranheza e até mesmo evitar os conflitos.

Saiba mais:

http://www.camarabrasilchina.com.br/noticias-e-publicacoes/noticias/noticias-sobre-negocios-com-a-china/dicas-de-etiqueta-e-cultura-chinesa-coisas-para-saber-antes-de-viajar 24.11.16

http://hangukcomacai.blogspot.com

http://www.remade.com.br/br/revistadamadeira

 

 

Anúncios